Punta del Este para pão-duro

Ponte Leonel Vieira ( Ponte Camelo)

Da primeira vez que fui a Punta del Este, caí de paraquedas, sem planejamento nenhum. Cheguei por um acaso do destino: fui esticando a viagem de Buenos Aires um pouco mais pra Colônia, depois Montevideo e quando dei por mim, já estava dentro de um ônibus chegando em Punta e fui logo me apaixonando. 

Quando eu ouvia falar em Punta del Este, eu só imaginava as bizarrices do programa Amaury Jr. e imaginava que era um destino chato de se fazer por ser muito voltado para Cassinos, peruagens e tudo mais do mundo da ostentação. Bastou descer do busão pra entender porque ali era um dos destinos mais procurados por quem visita a América do Sul. Mas devido ao pouco tempo (2 dias), só curtimos um pouco as praias e a night que começa depois das 3h da madrugada. O gostinho de “quero mais” ficou e foi o que me levou de volta pra apurar qual a boa por ali. 
Os granfinos que me desculpem, mas dá pra passar muito bem em Punta com pouca grana, sim! Abaixo colocarei um mini-roteiro pra quem vai passar um fim de semana no balneário ou pretende dar uma esticada de Montevideo pra Punta gastando, pasmem, menos de US$ 500 pra duas pessoas. Duvida? 

Porto de Punta del Este
Como chegar:
De Montevideo para Punta, não há nada mais tranquilo que a viagem de busão até lá. Chegue ao Terminal Rodoviário de Tres Cruces, compre a passagem pelas companhias COT  ou COPSA. Ambas têm ônibus pra lá de meia em meia hora. A passagem custa US$ 8. São 120 km, no máximo 1h30 de viagem e chegou! Peça para descer no terminal rodoviário de Punta que fica mais fácil de tomar taxi e ENJOY IT! 
Onde ficar:
Quer gastar pouco? Fique de olho em promoções de compras coletivas pra luxar da melhor forma, mas se o seu interesse é passar o dia curtindo e hotel só pra dormir, vale a pena deixar de frescura e ficar no Albergue El Viajero  com tarifas em torno de US$ 17 em quarto coletivo e US$ 60 quarto individual. 

ROTEIRO BÁSICO

Comece o dia visitando o Porto de Punta del Este pra ver os lobos marinhos, na Praia Mansa. Faça um passeio pelo bairro cheio de mansões (dizem ser indispensável, eu acho um saco ficar vendo as casas dos outros, mas é a forma de sentir o ~Lifestyle~ de Punta). Conheça também um pouco do centro de Maldonado com feirinha de artesanato e igrejas. 

Sentido horário: Porto, Lobos, Igreja de Nossa Senhora de Maldonado e casinha típica
A escultura “Hombre emergiendo a la vida”, conhecida simplesmente como “La Mano”, é do artista chileno Mario Irrazabal, o mesmo que fez a escultura “Mano del Desierto”, que está no Deserto de Atacama, no Chile. A obra de arte é o principal cartão postal de Punta e está sempre cheio de turista fazendo as mais diferentes acrobacias para fazer fotos.


Pra finalizar, corra para Punta Ballena para assistir ao pôr do sol no restaurante-hotel-obra arquitetônica Casapueblo. É bom chegar cedo para conseguir um lugar aconchegante, tomar uns “bons drinks” vendo o sol ir embora ao som de uma poesia de adeus. 


Por do Sol em Casapueblo

ROTEIRO DIA BONUS

Em um segundo dia em Punta, aproveite para acordar cedo e ir ao porto tomar um barco para visitar a Ilha dos Lobos e a Ilha Gorriti (onde fica a Ilha de Caras, alooow Amaury Júnioooor?). Obs.: Não incluí no orçamento porque não fiz o passeio e não sei quanto custa.

As Praias:

Durante o dia todo (depois do meio-dia, claro, porque em Punta ninguém acorda antes disso), aproveite para caminhar nas ramblas (calçadões) e tomar um mate. Para quem gosta de agito nas águas geladas, paquera e o que mais envolve o faniquito da juventude, segue em direção da Praia Brava: é onde tem as praias mais ~deslocadheenhas~  da galera — Playa dos Ingleses, José Ignácio, Barra, Bikini, Montoya e Manantiales, sendo as duas últimas especiais para quem gosta/pratica surf.  
A Noite: 

As noites em Punta são movimentadas nos dias de verão com eventos e boates bombando por todos os lados. Fora disso, a movimentação noturna é nos restaurantes e nos cassinos. Pra quem curte jogar dinheiro fora, ops…nas rodas de poker, Punta é o lugar. Conheci apenas o Conrad, tentei a sorte, perdi alguns dólares, mas foi só pra contar aqui no blog mesmo =P (mentira, me viciei e fiquei sem grana pra voltar pro hotel). Entre as outras opções, tem o Mantra, que é outro famosão. 

Na parte gastronômica, Punta foi um presente pra mim, que sou apaixonada por frutos do mar e não muito chegada ao churrascão argentino/gaúcho. Arrisquei umas paellas promocionais pertinho do porto por 160 pesos e me dei bem, mas preferi seguir as dicas do blog Destemperados que mostrou muitas opções em conta, uma delas foi o Lo de Charlie. Não é o baratíssimo do dia do Subway, mas foi um ótimo custo x benefício. 
Conrad de dia, Delicia no Lo de Charlie e foto proibida no Conrad na jogatina

Segue então o resultado desse roteiro pão-duro com refeições de preço médio de US$ 70 para duas pessoas, albergue sem luxo e pegando busão e city tour. Se for mochilar sai bem menos que isso e sobra grana pra torrar no cassino. 

Na ponta do lápis: 

passagem de ônibus: US$ 34 – ida e volta pela Copsa
albergue – US$ 120 (baixa temporada) no El Viajero 
city tour – US$ 50 ( US$ 25 cada pessoa) comprado no próprio albergue ( com a carteira de alberguista tem desconto)
quatro refeições – US$ 280 (em média) 

total: US$ 480,00 para um fim de semana para duas pessoas.






0 pensamento “Punta del Este para pão-duro

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Posts Relacionados

Comece a digitar sua pesquisa acima e pressione Enter para pesquisar. Pressione ESC para cancelar.

De volta ao topo